Se van de Borracheros!

Há algumas semanas atrás surgiu a oportunidade de conhecer a famosa cidade de Zaragoza. Esta era uma das cidades que estava na minha lista de lugares para conhecer neste intercâmbio. Sobretudo por sua história, que remonta o ano de 24 a.c e também pela sua importância para a atual configuração geográfica espanhola, onde é conhecida por suas lutas contra as invasões mulçumanas e dos exércitos Napoleônicos na Guerra da Independência. Uma cidade com tantas histórias e riquezas como essa, não poderia ficar de fora do meu roteiro.

Entretanto, infelizmente minha passagem por Zaragoza foi somente de 24 horas (até menos que isso). Bom, aí vai o motivo:

Esta viagem foi uma excursão de estudantes Erasmus. Erasmus é um grande programa de mobilidade de estudantes universitários e docentes da União Europeia, onde realizam intercâmbio nos mais diversos países. Dentre os países que mais recebe Erasmus, a Espanha lidera o ranking. São centenas de jovens universitários todos os anos em território espanhol. Mais ainda, dentre as cidades que mais recebem Erasmus, Madrid está entre as primeiras da lista. Desta forma, existe grupos de estudantes Erasmus, que promovem festas e viagens para os estudantes de intercambio, e o que é melhor, a um preço muito barato! Todo mês eles organizam diversas festas em Madri e várias viagens pela Espanha (existe um calendário de atividades para todo o semestre). Em Outubro, a cidade escolhida foi Zaragoza, porque neste mês acontece tradicional Fiesta del Pilar.

Essa viagem para Zaragoza foi de 24 horas; saímos de Madrid as 9:00 horas no sábado e voltamos as 9:00 horas no domingo, sem parar. A viagem incluiu uma “visita guiada” pela cidade, uma entrada em uma boate e o ônibus, pelo preço de apenas 15 €. Agora imaginem a quantidade de Erasmus, foram mais de 300 só de Madri, fora Barcelona, Sevilla, etc. Se não me engano, foram 6 ônibus de viagem saindo de Madri.

Quando saímos de Madri já deu para ver como iriam ser essas 24h de viagem. A festa já começou no ônibus, com muita bebedeira, alguns no corredor dançando, som alto, etc. E ai de quem dormisse; o primeiro que tentasse eles já gritavam: “Aburrido! Aburrido!” (como: chato! chato!). Além disso, eles tinham um Hino Erasmus, que sempre cantavam e o final era: “Erasmus (ou complu) enteros se van de borracheros!!” (que seria: Erasmus inteiros se vão de bebedeira). Complu faz referência a Universidad Complutense de Madrid, onde tem a maior quantidade de estudantes Erasmus.

Depois de chegar em Zaragoza, fomos para a “visita guiada”, onde um estudante que faz parte da organização dos Erasmus em Zaragoza apresentou alguns pontos da cidade de forma muito rápida e ruim, o que não deu para conhecer nada direito. Para resumir, infelizmente só fiquei na vontade de conhecer realmente a cidade.

Vi um pouco das belezas da cidade, como a bonita Basílica del Pilar, o lendário rio Ebro e a muralha centenária, construída para proteger as tropas espanholas das invasões mulçumanas (fotos abaixo).

Imagem

Imagem

Além disso, houveram dois momentos que marcou esta viagem para mim. O primeiro foi quando vi um pouco da apresentação de um grupo que tocavam castanholas (típico da Espanha); Estas apresentações são sempre bonitas, principalmente aquelas que são feitas na rua, para o povo; Esta particularmente me fez lembrar as oportunidades que tive ao ver algumas Folias de Reis em Minas Gerais, em 2008 na caminhada do Re(vi)vendo Êxodos.

O outro momento foi emocionante: estava caminhando pela rua quando de repente escutei uma música tocada no violão, muito suave e calma; não sabia de onde vinha, mas tinha certeza que era uma canção brasileira. Estava desesperadamente procurando saber de onde vinha este som quando de repente viro a esquina e vejo um senhor sentado, com um tripé e uma bandeira do Brasil dobrada em cima. Tocava Velha Infância – Tribalista (pequeno vídeo abaixo). Foi uma sensação incrível, ver aquele senhor tocando música brasileira, no meio das pessoas, fazendo com que a fiesta del Pilar ficasse ainda mais bonita!

A noite chegou e a festa continuou até a madrugada. Quando era 00:00 a maioria foi para a boate, outros estavam caídos de bêbados nas ruas, outros dormiam nas calçadas, etc. Eu e outros tantos preferimos ficar andando pelas ruas. Acho que conheci mais a cidade de noite do que a visita guiada de dia. Além disso, conheci um Espanhol Borracho muito engraçado, que sabia alguma coisa de português e conhecia músicas do Brasil (algumas boas e outras nem tanto), porque viveu em Recife um tempo (vídeo abaixo).

Para terminar, coloco aqui as vantagens e desvantagens que percebi ao fazer uma viagem ou excursão com os Erasmus.

VANTAGENS: Para quem gosta de muita festa, curtição e badalação compensa; O preço também é muito em conta; Você conhece gente de toda Europa (estudantes de diversos países) e pratica qualquer idioma que você quiser (principalmente Inglês);

DESVANTAGEM: Muito pouco tempo, não conhece a cidade direito; A organização prioriza a festa; Muita gente, pouca praticidade e tem que ter paciência; Não tem muita liberdade para sair do restante do grupo.

Espero um dia ter a oportunidade de voltar a Zaragoza para realmente conhecer a cidade de forma completa e não só por uma noite de borrachera!!

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s